Segunda-feira, 22 de Janeiro de 2018

Emplacamentos de veículos e motocicletas avançaram em dezembro, encerrando o ano com crescimento de 1,4%


Os emplacamentos de veículos, excluindo máquinas agrícolas e implementos rodoviários, somaram 3,09 milhões de unidades no ano passado, segundo dados divulgados ontem pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). O resultado representou um aumento de 1,4% em relação a 2016 e foi impulsionado por veículos leves (alta de 9,4%) e pesados (expansão de 5,1%), ao passo que as vendas de motocicletas recuaram 14,7%. Em dezembro, especificamente, as vendas de veículos totalizaram 290.087 unidades (também descontados os implementos rodoviários e as máquinas agrícolas), o que responde por um avanço de 2,1% na comparação com novembro na série livre de efeitos sazonais. O desempenho no mês passado foi puxado pelas vendas de comerciais leves, caminhões, ônibus e motocicletas, que cresceram 3,8%, 6,3%, 1,0% e 9,8%, respectivamente. No sentido oposto, as vendas de automóveis recuaram 1,6% na margem. Na comparação interanual, os emplacamentos totais apresentaram ligeiro avanço de 0,7% em dezembro. Tais resultados reforçam nossa expectativa de recuperação gradual do setor nos próximos meses, refletindo a melhora em curso do mercado de trabalho e das condições de crédito. Já o crescimento da venda de caminhões está em linha com nossa expectativa de retomada do investimento.

 

Inflação
- Fipe: inflação em São Paulo encerrou 2017 em 2,28%
O IPC-Fipe registrou alta de 2,28% em 2017, conforme os dados divulgados nesta manhã. Esse resultado foi significativamente inferior ao de 2016, quando o índice teve alta de 6,55%, e tal diferença se deve, entre outros fatores, à queda de 2,0% dos preços dos alimentos. Por outro lado os grupos de saúde e educação registraram as maiores altas dentre os grupos, de 8,5% e 7,9%, respectivamente. Na margem, em dezembro, o índice subiu 0,55%, ligeiramente acima das expectativas do mercado (0,50%). A aceleração em relação à alta de 0,29% observada em novembro refletiu principalmente a alta dos preços de alimentação, de 0,3%, que reverteu parcialmente a queda de 0,7% da leitura anterior. Acreditamos que o cenário para a inflação deve continuar favorável ao longo de 2018, apesar de devermos observar alguma aceleração em relação a 2017.

 

Internacional
- EUA: alta do indicador ADP não altera nossa perspectiva de desaceleração na margem do mercado de trabalho
A pesquisa de geração de vagas de trabalho no setor privado (ADP) registrou a criação de 250 mil vagas em dezembro, bem acima da mediana da estimativa do mercado e do dado de novembro (ambos em 190 mil). Porém, essa aceleração na criação de vagas sugerida pela pesquisa ADP contraria a desaceleração sugerida pelo componente de emprego do índice ISM de manufaturas, divulgado na última quarta-feira, que desacelerou de 59,7 em novembro para 57,0 pontos no período, em linha com o número de pedidos de auxílio-desemprego acumulado no mês. Dessa forma, esperamos que os dados oficiais de mercado de trabalho (criação de vagas e taxa desemprego), que serão divulgados hoje, poderão trazer uma ligeira desaceleração no ritmo de criação de vagas em dezembro. A mediana das expectativas do mercado sinaliza que a geração líquida vagas passe de 221 mil em novembro para 175 mil em dezembro.

 

Tendências de Mercado
Os mercados acionários encerram a semana com tendência de alta. As bolsas asiáticas fecharam o pregão com variações positivas, com destaque para a alta de 0,9% em Tóquio. As bolsas europeias operam no campo positivo, mesma direção sinalizada pelos índices futuros das bolsas americanas. No mercado de divisas, o dólar ganha valor ante as principais moedas, à espera dos dados do mercado de trabalho dos EUA.

 

No mercado de commodities, as cotações do petróleo são negociadas em ligeira queda, apesar de os dados divulgados ontem confirmarem um recuo dos estoques dos EUA pela sétima semana consecutiva. Hoje, serão divulgados os dados semanais sobre a perfuração de poços no país. As principais commodities agrícolas são negociadas sem tendência única, com queda das cotações do trigo, café e açúcar e alta das de soja e algodão. Já os preços dos metais industriais operam sem tendência única, com alta do preço do cobre e queda do alumínio.

 

Na agenda doméstica, serão conhecidos os dados da produção industrial de novembro. Esperamos uma queda de 0,3% em relação a outubro. Além disso, a Anfavea divulgará os dados da produção de veículos em dezembro.

 

Conheça também nosso site: economiaemdia.com.br

 

ATENÇÃO:
O BRADESCO não solicita em seus e-mails, em hipótese alguma:
- Atualização de cadastro ou qualquer outro tipo de informação pessoal;
- Números da Agência, conta corrente ou poupança, senhas ou números do Cartão de Crédito
O BRADESCO não envia em seus e-mails arquivos anexados que são executáveis.
- Arquivos executáveis são os que realizam comandos quando abertos pelo usuário. Não há regras, mas as extensões mais comuns para esses arquivos são EXE, BAT, SCR e COM.

 

Fonte: Bradesco